Estudantes da PUC Campinas debatem a Lei da Mordaça

Liberdade e Luta

campEstudantes realizaram uma roda de conversa na PUC Campinas na última terça (14) para debater a Lei da Mordaça (veja mais fotos).

Cris Borges, militante da Liberdade e Luta em Itatiba, cidade próxima a Campinas, participou da conversa, apresentou a Liberdade e Luta para os estudantes e explicou a campanha contra a Lei da Mordaça. "Nossa construção a partir do abaixo assinado e também desses debates é mostrar que não nos calaremos diante desse projeto de lei que veio para calar de fato a transformação da nossa consciência na base que é principalmente a educação primária", relatou Cris.

Nota da Liberdade e Luta de repúdio à chacina em Orlando

Evelyn Gonzalez e Luís Tenorio

orlNo último domingo, 12 de Junho, o mundo ficou diante de mais uma barbárie. Ao menos 50 pessoas foram assassinadas e 53 ainda estão feridas na chacina ocorrida em uma casa noturna gay em Orlando, EUA. 

O atirador foi reconhecido como Omar Seddique Mateen, 29, morto em seguida pelos policiais e, apesar de ser norte-americano, ele possuia origem afeganistã. Fontes apontam que se trata de um “ato terrorista” e atribuem ao rapaz, ligação com o ISIS (Estado Islâmico) e por conta disso, Obama vai reforçar a ofensiva contra o ‘terrorismo’ – ou seja, abre-se um pretexto para investir em mais armamentos, consequentemente lucrar com a indústria armamentista em cima da guerra que está acontecendo na Síria e região. Além de possíveis leis de restrição das liberdades, como o Estado de Emergência na França, decretado após os atentados terroristas em Paris, e que atacam os direitos de organização e manifestação. 

Violência contra mulher: um mal a ser combatido na sociedade

Liberdade e Luta – Núcleo Itatiba/SP

mulherCamila Daiane Naves, uma jovem de 17 anos lembrada pelos amigos como uma pessoa gentil e sorridente, teve sua vida interrompida pelo ex-namorado, um rapaz de 20 anos. O crime aconteceu  no dia 06 de junho, em Itatiba-SP e chocou todos os habitantes da cidade. 

O suspeito, que estava foragido, se entregou para polícia no dia 8. Em seu depoimento, o jovem disse que havia cometido o crime porque não se conformou com o fim do namoro. No laudo do IML, a causa da morte se confirma como estrangulamento e traumatismo craniano. A família do rapaz disse que ele teria ficado seis dias, antes de cometer o crime, trancado no quarto. Declaram que andava estranho nos últimos dias.  Na página do Facebook do jovem, há alguns posts ofensivos às mulheres.

10 de junho: Lutar contra os ataques. Fora Temer e o Congresso Nacional!

Liberdade e Luta

fore tO governo Temer surgiu com o propósito de aprofundar os ataques contra a maioria da população. Entre as principais medidas que atingem a juventude estão os cortes na saúde e educação, a exploração sem limites dos terceirizados, a repressão que a “Lei da Mordaça” prevê. As reformas na previdência e a destruição das leis trabalhistas vão desestruturar as famílias e obrigar os jovens a procurar trabalho mais cedo, no momento em que o desemprego entre os que têm menos de 25 anos já atinge mais de 30%.

Luta contra a Lei da Mordaça na Câmara de Joinville/SC

Kályta Morgana

leimordA Liberdade e Luta, junto com professores, estudantes e líderes de movimentos sociais, lotaram nessa terça-feira (7/6) a Câmara de Vereadores de Joinville, que discutia a Lei da Mordaça, proposta no município pela vereadora Pastora Leia, sob o número 221/2014.

Sabemos que esse projeto fere a liberdade de ensino, aprendizagem e expressão no ambiente escolar, trazendo conceitos etéreos como a “neutralidade política, ideológica e religiosa” e determinando que os estudantes recebam a educação moral que esteja de acordo com as convicções de seus pais. Ele ainda proíbe a divulgação de manifestações, atos públicos e passeatas em sala de aula. Na prática, limita a liberdade de escolha dos professores daquela que consideram a melhor abordagem sobre determinado tema, prejudica a socialização de importantes conhecimentos acumulados pela humanidade, bem como a organização estudantil e sindical.

Giro secundarista é realizado em Joinville/SC

Mayara Colzani

pbjlleO estudante Pablo Bailoni, militante da Liberdade e Luta e estudante secundarista em Santos/SP, participou de um giro secundarista em Joinville/SC. A atividade “Lições das Escolas Ocupadas em São Paulo” reuniu vários estudantes de diversas escolas da cidade onde o Pablo além de falar de como foi sua experiência nas ocupações da baixada santista, trouxe uma análise sobre a atuação truculenta da Polícia Militar e das direções de escolas diante da luta dos estudantes secundaristas.

Lutar contra os ataques! Fora Temer e o Congresso Nacional!

Liberdade e Luta
llpaulista

No dia 11 de maio de 2016, o Brasil assistiu um "novo governo" emergir na situação política, um governo direto da burguesia e com objetivo de atacar mais profundamente o povo e a juventude.

Depois de ter assistido o circo de horrores da escória política burguesa no dia 17 de abril aprovando o impeachment, todos que se posicionaram contra esse processo sentem-se autorizados a derrubar esse governo ilegítimo. Isso inspira resistência. 

Nenhuma mulher merece ser estuprada! Chega de assédio e violência contra a mulher!

Evelyn Gonzalez

mUma garota de apenas 16 anos é brutalmente estuprada por pelo menos 33 homens em uma comunidade da Zona Oeste do Rio de Janeiro.  

Na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Isadora, jovem universitária, foi vítima de um dos diversos estupros que ocorreram nesta mesma faculdade e cometeu suicídio por não suportar a dor psicológica.

Estes são apenas alguns casos bárbaros que ocorrem diariamente, onde a cada 11 minutos uma mulher no Brasil é estuprada segundo dados oficiais.

Nota de apoio à ocupação da UNESP de Assis

Liberdade e Luta

unassisA Liberdade e Luta se solidariza com a luta dos estudantes que se colocam em movimento em defesa de uma educação pública, gratuita e para todos. Os companheiros da greve com ocupação da UNESP de Assis, desde o dia 20/5,  pautam sérias questões sobre a melhoria das condições de estudo, tais como, permanência (moradia e restaurante universitário), contra a precarização do ensino, pela continuidade do PIBID, por contratação de professores e contra os cortes de repasse de verbas às universidades paulistas. 

Nós entendemos que a luta pelas pautas imediatas estão conectadas com a real transformação da nossa sociedade em uma sociedade livre da exploração capitalista, que é a principal trava para uma educação realmente emancipadora, pública, gratuita e para todos. 

Inscrever-se em