O Mundo é meu país

Evandro Colzani
mundo

A Liberdade e Luta é formada por jovens, estudantes e trabalhadores, que estão ao lado da classe operária na luta pela conquista de uma nova sociedade. Uma sociedade sem classes, sem exploração, socialista. Os operários não têm pátria e a juventude que luta pela causa do proletariado também não.

As nações como conhecemos hoje foram criadas pela classe dominante - a burguesia. Elas foram formadas para que os capitalistas pudessem proteger seus mercados e manter seu regime de exploração do homem pelo homem.

As fronteiras são uma invenção dessa classe. Desde as divisões geográficas que criam linhas irregulares e nos separam em povos pela língua e a cultura, até as fronteiras retilíneas africanas feitas à mão, todas são completamente artificiais.

O horror sem fim do capitalismo

A burguesia não criou apenas as nações, mas separou cada país pelo sangue e criou a guerra entre as nações. Criou a defesa da pátria para justificar que trabalhadores matem uns aos outros nas guerras da burguesia.

Sabemos que existem diferentes culturas, porém entendemos que somos parte de uma mesma raça, a mesma espécie. Nosso combate é para que sejamos socialmente iguais e humanamente diferentes.

Hoje, mais de 50 guerras localizadas estão em curso. Iniciadas ou impulsionadas pelo imperialismo, são o resultado de sua atividade de sobrevivência lançando a humanidade cada vez mais na barbárie.

Há cerca de 65 milhões de refugiados no mundo que perderam tudo, que não possuem condições materiais de continuar vivendo em seu país de origem ou não querem mais viver em zonas de guerra. 

Ao falar sobre os refugiados, Bolsonaro disse que “não podemos abrir as portas para todo mundo”. Nós dizemos a todos os refugiados: sejam bem-vindos! 

O sul não, o mundo é meu país

No sul do Brasil surgiu um movimento reacionário intitulado ‘O Sul é o Meu País’ que quer separar os estados  do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul do restante do país. Esse movimento se utiliza do direito de autodeterminação dos povos para justificar suas ações.

Nós defendemos o direito à autodeterminação dos povos e nações oprimidas e unimos esse direito à explicação da necessidade da unidade dos povos para por fim ao capitalismo. Esse não é o caso desse movimento que se baseia apenas em ideias preconceituosas. Nós dizemos não à xenofobia. O sul não é o nosso país.

Trabalhadores do mundo uni-vos! Essas foram as palavras de unidade que levaram milhares de trabalhadores de todos os lugares do mundo a lutar por um mundo melhor. Viva a Comuna de Paris, que abrigava as mais distintas nacionalidades em suas fileiras. Viva a Revolução Russa, que completa 100 anos, derrubou fronteiras e ensinou para a classe operária do mundo inteiro que sua luta era internacional.

A luta pelo socialismo é mundial. Somos solidários a todas as lutas internacionais dos trabalhadores. O que nos une não é o sangue, nem a pátria, mas a nossa classe. Somente com a unidade, organização e luta poderemos ajudar um mundo novo a nascer. Junte-se a nós! Faça parte da Liberdade e Luta. 

Data post