A luta dos Servidores Públicos de Florianópolis contra as OS's

Mateus Wachter dos Santos
floripaos

Em 11 de abril foi decretada a greve dos Servidores Públicos Municipais de Florianópolis contra a PL (projeto de lei) 14.484/2018, proposto pelo atual prefeito (Gean Loureiro), em trâmite na Câmara Municipal de Florianópolis. O Projeto de Lei, tem por objetivo, tornar possível a contratação de “Organizações Sociais” (OS’s) para a gestão de serviços nas áreas da Saúde (UPA’s) e educação (Creches). 

As OS’s são empresas de direito privado, supostamente sem fins lucrativos, contratadas, por meio licitatório, para gerir determinados serviços públicos. Elas têm autonomia para a contratação dos funcionários (sem que seja realizado qualquer tipo de concurso), podem efetuar compras sem licitação e, ainda, tem liberdade na gestão de serviços.   

O que vemos aqui é um claro processo de privatização dos serviços mais básicos, o que representa um nítido ataque, não só aos servidores públicos de Florianópolis, mas também a população, que depende desses serviços. É mais dinheiro para o bolso do empresário e serviços cada vez mais precários para o proletariado e juventude que tanto dependem destes. 

A Greve, que começou em 11 de abril, segue firme e já chega ao seu nono dia. A categoria segue aguerrida participando dos atos e assembleias, crescendo o número dos postos de trabalho que param o atendimento e engrossam o movimento de greve.

Nós da Liberdade e Luta, entendemos a importância da luta ao lado da classe trabalhadora. Sabemos que a batalha por um futuro melhor, só será vencida se a fizermos em conjunto e, com esse entendimento, declaramos total apoio aos servidores municipais de Florianópolis em sua luta contra a privatização e precarização do serviço público.

Fora OS’s!

Educação e saúde pública, gratuita, de qualidade e para todos!   

Data post