Sucateamento da educação pública leva teto da FAP a desabar durante aula noturna!

Daniele Rocha

WhatsApp%20Image%202019-03-18%20at%2023.32.26_0.jpeg

 

Já pensou no teto da universidade quase cair na cabeça dos estudantes? Com o sucateamento da universidade pública, isso não fica só no pensamento e passa à realidade. Aconteceu na terça-feira, 12 de março, em uma das sedes da Universidade estadual do Paraná – Campus Curitiba II – FAP.  Uma das salas teve um desabamento do teto, durante a aula da noite, os alunos de Licenciatura em teatro que estavam em sala ouviram os primeiros barulhos do teto e começaram a sair da sala. Por sorte, ninguém se machucou.

Os governos sucateiam a educação pública paranaense

A FAP vem passando por problemas de infraestrutura e sofre sucateamento do governo há anos, o teto da sala ter caído gerou notícias dizendo que era por conta das fortes chuvas na região, porém, sabemos que o problema é muito maior.

A sede da FAP, situada no bairro Cabral, onde são ministrados os cursos de artes visuais, artes cênicas, dança, música, musicoterapia, música popular e teatro, vem enfrentando diversos problemas de infraestrutura. Nos períodos chuvosos da cidade sempre acaba tendo uma aula ou outra suspensa por não haver  condições de uso das salas de aula, as salas têm goteiras, a faculdade fica alagada, o Telab (teatro da faculdade), contém diversos estúdios com goteira, o que não só prejudica, como impede a realização das aulas práticas.

As salas que contém instrumentos, como o audiovisual e a sala de pianos, já molharam algumas vezes, estragando os instrumentos e aparelhos. Diga-se de passagem que hoje não se tem uma quantia necessária de instrumentos e os pianos que temos não veem uma boa manutenção à anos. Em uma das chuvas, que alagou a faculdade, tivemos danos em alguns pianos por terem molhado... O descaso é total!

A secretaria emitiu uma nota na quarta (13) na qual suspendeu as atividades acadêmicas até ontem (18). A Paraná Edificações foi até a faculdade fazer a vistoria do Campus e constatou que a universidade tem uma estrutura precária por falta de manutenções; rachaduras por todo o prédio sem contar as infiltrações e os problemas com o teto.

Após a vistoria, foi emitida uma outra nota da secretaria acadêmica suspendendo as aulas até o dia 23, o que é preocupante, pois o governo já não faz os repasses necessários para manter a faculdade funcionando de maneira digna é bem provável que demore para a deliberação de verbas para fazer a manutenção neste momento, podendo assim adiar ainda mais o retorno das atividades acadêmicas.

Estudantes não têm aulas por causa do sucateamento!

Essa negligência e  falta de repasse necessário de verbas acarretou em diversos problemas. Somente neste início do ano letivo tivemos as duas sedes da FAP com as atividades suspensas. Antes de iniciar o ano letivo as atividades do Campus de Cinema e Audiovisual em Pinhais, (cidade metropolitana de Curitiba), teve as atividades interrompidas, pois, teve o Campus alagado.  O Campus  sofre com tamanho descaso que, encontra-se com diversas infiltrações o que comprometeu o prédio.  Goteiras e risco de pane elétrica, levou o colegiado a pedir a interdição do prédio para evitar um acidente, o Campus  de Pinhais continua interditado.

O ano letivo teve início na última semana de fevereiro, e desde então temos disciplinas suspensas por não ter professores, pois eles passaram no último concurso para PSS e não puderam assumir.  Concurso para agentes universitários e professores efetivos não ocorre há tempos…

A FAP está em luta contra o sucateamento!Vale lembrar que a FAP vem lutando contra os ataques do governo há anos, em 2015 contra o pacotaço que levou funcionários e alunos as ruas, ocupando a ALEP.  Na ocasião, o governo votou por reduzir a verba a ser repassada para as universidades do Paraná, entre outros projetos prejudiciais a educação pública. Toda a mobilização contra o pacote acabou com o Massacre de 29 de Abril.

Existe um  o atraso do pagamento dos funcionários terceirizados e técnicos;  a falta de produtos básicos para a manutenção da universidade como, por exemplo, papel higiênico;  O corte dos funcionários terceirizados, o que desencadeou diversos períodos de paralisação nas atividades acadêmicas.

Lutamos para a retirada da FAP e da UENP (universidade Estadual do Norte Pioneiro) do Meta 4 onde tira toda a autonomia da universidade. Em 2016 os alunos da Belas Artes, outro Campus da UNESPAR em Curitiba, e alunos da FAP ocuparam a faculdade.

Estávamos com um desfalque no quadro de funcionários e reivindicamos o acesso ao anexo do Telab, que é uma construção que começou a ser construída há uns dez anos e foi parada por falta de verbas de custeio.  

No ano passado terminaram a construção e a inauguração que era para ser feita em maio de 2018 nunca aconteceu, hoje com a FAP interditada podíamos utilizar o prédio do anexo mas não se tem liberação dos bombeiros.

É preciso lutar contra o capitalismo para resolver os problemas da FAP!

O que acontece hoje em nosso Campus é reflexo do  sistema capitalista, que falhou! Os  governos vêm sucateando todas as universidades públicas com a finalidade de privatização!

É preciso lutar para combater por todo o dinheiro necessário para a educação pública! Os problemas da FAP só serão resolvidos quando for repassado todo o recurso que a FAP precisa para resolver os problemas de infraestrutura, mas também ampliar a estrutura para permanência dos estudantes, ampliar as pesquisas e o investimento nelas, ampliar os instrumentos e aparelhos necessários!

É preciso lutar pelo fim ao pagamento da dívida pública, uma dívida que consome trilhões de reais e que vai para os bolsos dos capitalistas, todos os anos! Retirando recursos da saúde e da educação, como Temer realizou com Emenda Constitucional 95 e agora Bolsonaro e Paulo Guedes pretendem fazer com a desvinculação total das receitas.

Convidamos todos os jovens a lutarem com a Liberdade e Luta para pôr fim   a falta de investimentos na educação e por educação pública, gratuita e de qualidade para todos!  

Data post