Nossa Hora, Nossa Vez de dizer Fora Bolsonaro!

Lucy Dias
FORA-CAPA.png

Este artigo foi publicado originalmente na página de juventude do jornal Foice&Martelo, caso você queira ler todo o conteúdo do jornal, clique aqui para assinar

O dia 15 de maio demonstrou o tamanho da disposição de luta que existe entre a base do movimento estudantil e dos trabalhadores contra o governo Bolsonaro e suas medidas de ataque aos nossos direitos. Não só demonstrou que existe disposição de luta para reverter os cortes, como também um ânimo para lutar pelo “Fora Bolsonaro!”. Em diversos locais, a palavra de ordem apareceu de forma espontânea, como em Juazeiro do Norte, (CE). Em diversos atos onde a Liberdade e Luta impulsionou a palavra de ordem, os participantes dos atos a agarraram com calor e animação, como mostra o vídeo do ato em São Paulo.

Essa foi uma verdadeira lição para aqueles que pedem ‘calma’ para a situação atual. Não existe espaço para calma, existe urgência em defender os nossos direitos e abrir uma perspectiva de futuro. A juventude e os trabalhadores sabem disso e estão dispostos a lutar. O dia 30/05 somente confirmou essa análise! 

O governo Bolsonaro não vai parar os seus ataques. Mesmo depois das grandiosas manifestações do dia 15 contra os cortes na educação, no dia 19/5, o MEC cortou cerca de 40 milhões de reais de três Hospitais Universitários nas cidades de Natal, Palmas e Dourados. Esses hospitais, se concluídos, iriam prestar atendimento a mais 2,7 milhões de pessoas e criariam 755 leitos.  Os impactos são claros: redução da oferta do atendimento de saúde pública, precarização dos já existentes e diminuição de vagas de emprego (tanto na construção civil, quanto na saúde). 
Nosso único caminho é o da luta e da organização, encarando esse governo de frente, sem aceitar seus cortes e ataques, sem negociar. Não temos mais o que esperar para dizer “Fora Bolsonaro!”. Esse governo é um desastre para a juventude, em diversos aspectos, mas principalmente no que diz respeito a oferecer uma perspectiva de futuro. 

A Liberdade e Luta, desde seu Acampamento Revolucionário 2019, tem defendido a palavra de ordem “Fora Bolsonaro!”. Temos apresentado isso em diversas atividades realizadas onde estamos presentes. Mas agora é hora de ir além, é hora de levar isso para os atos, manifestações, assembleias e para o 57º Congresso da UNE. 
Em Joinville, Santa Catarina, tivemos uma grande vitória no processo de eleição de delegados ao Conune, na Univille, onde conseguimos a maioria dos votos na chapa Liberdade e Luta que defendeu o “Fora Bolsonaro!” contra a chapa da UJS e sua política de conciliação. Mesmo não elegendo delegados na PUC-SP, conseguimos fazer uma ampla discussão com diversos estudantes durante o processo de eleição, que farão parte do núcleo da Liberdade e Luta. 

Continuaremos apresentando essa discussão em todos os lugares, organizando estudantes e trabalhadores em torno dessa perspectiva, construindo núcleos da Liberdade e Luta como instrumento da mobilização pelas bases. 
Diversas lutas de massas no passado foram responsáveis por mudar a situação política no Brasil. A palavra de ordem por “Fora Collor”, por exemplo, foi impulsionada pela base da CUT, pela CUT regional São Paulo. Foi a partir de uma iniciativa de uma organização pequena no interior daquela regional que milhões se agarraram naquela palavra de ordem que significou a derrubada de Collor na década de 1990.

Outro exemplo marcante foi a Liberdade e Luta da década de 1980, que fez o mesmo e apostou com ousadia no “Abaixo a Ditadura”, se tornando a primeira organização a colocar publicamente a palavra de ordem. Rodava, mesmo ilegalmente, em mimeógrafos o “Abaixo a Ditadura” nas folhas de xerox dos textos nas universidades. Apresentava com ousadia e criatividade a palavra de ordem que ganhou as mentes e corações de uma geração inteira. Eles demonstraram da melhor maneira como uma pequena organização, com ideias corretas, pode alcançar milhões. Essa é a nossa tarefa no presente. Temos as ideias corretas e a força da juventude que se demonstra cada vez mais aberta a elas. É hora de transformar isso em organização.

Em todos os espaços é preciso dizer “Fora Bolsonaro!” e saber que existem centenas de milhares junto com a gente nas ruas. Essa é a hora de construir a tendência revolucionária da juventude, a Liberdade e Luta. É hora de propor abertamente a formação de núcleos em torno dessa palavra de ordem, de recrutar novos militantes, de reagrupar uma fileira enorme de jovens que estão dispostos a lutar, somente à espera de uma organização com as ideias corretas para os ajudarem a se organizar e a lutar por ideias revolucionárias e socialistas.

Data post