Por uma Greve Geral duradoura para enterrar a reforma da previdência e derrubar Bolsonaro!

Liberdade e Luta

60054933_2404140389617361_7054113432945033216_n.jpg

Para além de todas as trapalhadas e ataques do reacionário governo Bolsonaro, os recentes cortes no orçamento da educação e a proposta de “reforma” da previdência, que visa entregar trilhões de reais aos banqueiros e especuladores à custa  de impedir milhões de brasileiros de ter uma aposentadoria no fi nal da vida, coloca a todos os trabalhadores e jovens brasileiros a tarefa de derrubar Bolsonaro e toda sua equipe.  
Segundo pesquisa feita pelo “Atlas Políti co”, já são 38,1% dos brasileiros a favor da palavra de ordem “Fora Bolsonaro”. Estes começaram a se expressar nas ruas nos grandes atos de 15 e 30 de maio, apesar do bloqueio das direções dos aparatos.

Sim, pode parecer estranho à primeira vista, mas  boa parte das direções sindicais, estudanti s e parti dárias não está a favor de agitar “Fora Bolsonaro” nas ruas. Os parti dos que compõem o Fórum dos Parti dos de Oposição (PT, PCdoB, PSOL, PDT e PSB) se reuniram no dia 22/05 para defi nir centralmente a linha de sufocar o nascimento de um movimento nacional “Fora Bolsonaro”. No dia 30/05, a UNE, dirigida por PCdoB e PT, colocou todo o peso do seu aparato para controlar as manifestações com grandes caminhões de som onde nunca era entoada a consigna “Fora Bolsonaro”. Em São Paulo,  vesti ram a manifestação com uma faixa de 1000m² que dizia ‘‘O Brasil se UNE pela Educação’’.

A faixa, de tão grande, não podia ser lida pelos manifestantes presentes. Foi feita para ser entendida apenas pelas câmeras dos helicópteros da imprensa. Era uma faixa para centralizar politi camente o movimento no Brasil inteiro e, assim, tentar impedir que o “Fora Bolsonaro” se alastre. A palavra de ordem da UNE é vergonhosa, não tem um recorte de classe, não defende a educação pública, faz parecer que todos defendem a educação… mas que educação? Afi nal, dizer que o Brasil se une pela educação inclui aqueles que defendem a educação privada, inclui os que defendem que se cobre taxas nas universidades públicas, por exemplo, mas que estão “a favor da educação”. Essa consigna genérica “pela educação” na práti ca abandona a defesa da educação pública e gratuita para todos e representa uma linha políti ca de unidade com a burguesia. 

É preciso dar passos para superar essas direções atuais do movimento, construir a unidade real, sobre a base dos interesses imediatos e históricos da classe trabalhadora, para reverter os cortes na educação, para enterrar a privati zação da previdência e pôr abaixo o governo Bolsonaro. Para isso, uma Greve Geral de apenas um dia é insufi ciente. A Greve Geral deve começar e não ter data pra acabar, até derrubar o governo! Isso abriria uma situação revolucionária no Brasil que poderia mudar toda a sociedade!

Se você tem acordo com isso, nos ajude a compor os blocos “FORA BOLSONARO” nas manifestações do dia 14 de junho!

Em defesa da previdência pública e solidária!

Educação Pública, Gratuita e para Todos!

Por uma greve geral por tempo indeterminado!

Fora Bolsonaro!

Baixe o panfleto com esse texto diagramado, imprima e mobilize seu local de estudo, trabalho ou moradia! 

 

Data post