SP: Encontro Regional reafirma o Fora Bolsonaro e as medidas contra os ataques de Dória no Estado

Lucy Dias

_MG_9621.JPG

                                     Participantes do Encontro Regional em SP / Foto: Johannes Halter

Nesse final de semana (01 a 03/11) foram realizados os Encontros Regionais da Liberdade e Luta ‘‘Fora Bolsonaro, lute pelo socialismo’’ em São Paulo (02/11) e em Joinville-SC (01 a 03/11).

Os Encontros Regionais têm uma programação bastante similar, de forma que todos os jovens que reunimos tenham acesso a um debate nacional e que, ao mesmo tempo, possam discutir como eles se aplicam em sua região. 

Em São Paulo, dezenas de jovens se reuniram, durante um dia inteiro. Na parte da manhã, a primeira mesa, um painel, contou com informe da Lucy Dias e coordenação do Moisés Gabriel, sobre a situação política internacional e nacional, o “Fora Bolsonaro e a luta da juventude pelo mundo”.

IMG_9814.JPG

                                                                       Foto: Johannes Halter 

Foi realizado o debate “Porque aumenta e como combater a violência contra as mulheres?”, com Milena Silva e Alexia Marília, ambas secundaristas. Um debate que explicou a origem da opressão e dupla exploração das mulheres; como as condições econômicas atuais, de crise e aumento da exploração, levam ao aumento da violência contra as mulheres e que o primeiro passo para a combater é o Fora Bolsonaro. Ao final, gravamos um vídeo em solidariedade à Suelen, militante do Mulheres pelo Socialismo em Floripa, que sofreu repressão da Guarda Municipal na noite do dia 30/11. 

_MG_9606.JPG

                                                                          Foto: Johannes Halter

Depois desse debate, seguimos com a discussão sobre a “Reforma do Ensino, o INOVA e a luta dos secundaristas”. Nessa mesa, Renata Paradizo coordenou a mesa do secundarista Vinicius Lopes e o Prof.º Pedro Bernardes, do coletivo educadores pelo socialismo. A mesa trouxe um regaste das últimas lutas da juventude no Brasil, a Revolução dos Pinguins no Chile e quão prejudicial para estudantes e professores é a Reforma do Ensino Médio e o INOVA, do estado de SP. Os participantes contribuíram em suas falas sobre como estão lutando contra as diversas formas de ataque aos estudantes secundaristas e professores (escola de tempo integral, mediotec, novotec, escola militarizada, escola sem partido e perseguição dos estudantes) onde expressaram a necessidade da mobilização, do trabalho de base e a organização em verdadeiros sindicatos de estudantes.

 

_MG_9634.JPG

                                                                          Foto: Johannes Halter

A tarde, começamos com “Ciência, Universidade e Revolução” com Cássio Eduardo, estudante da FMU, Daniel Boanerges, estudante da Unesp e Gustavo Benassi, estudante da Unifesp. Foi discutido o papel da ciência e da universidade, seja pública ou privada, no capitalismo e a necessidade de federalizar as universidades privadas e defender as públicas da privatização (Future-se), mas ambas sob controle dos que nela estudam e trabalham, para de fato colocá-las a serviço da classe trabalhadora e da juventude. Aqui também foi feito o balanço do papel das direções nas mobilizações contra os cortes de Bolsonaro, apontando a traição das direções da UNE, UBES, ANPG, ANDES etc.

       

_MG_9656.JPG

                                                                        Foto: Johannes Halter                    

O último debate realizado foi “Meio-Ambiente: existe capitalismo sustentável?” com informe do secundarista Yuri Quiterio e coordenação da Jacqueline Takara. Aqui o debate expressou a história e a relação dialética entre a humanidade a natureza e como o modo de produção capitalista utiliza ambas para sua dominação, exploração e destruição. E que para se chegar a uma relação de harmonia entre a humanidade e a natureza é preciso destruir esse sistema!

_MG_9672.JPG

                                                                        Foto: Johannes Halter

Por fim, tivemos uma apresentação artística sobre o compositor Johann Sebastian Bach, onde Moisés Gabriel, estudante da Mozarteum, nos maravilhou com a apresentação de três danças compostas por Bach e um pouco sobre sua história e contexto social.

IMG_9755.JPG

Ao final foram votadas a resolução que aponta a construção do Encontro Nacional (Acampamento Revolucionário) de 2020, a difusão do Boletim Liberdade e Luta, a tiragem de atividades com o manifesto “Dinheiro para a educação, não para pagar banqueiros”, além das campanhas de moções já em andamento “Em defesa da vida da Prof.ª Mara’’ e “Abaixo a perseguição política à Vinicius Lopes e Yuri Quiterio”. Em São Paulo, também foi decidido organizar atividades sobre o Passe Livre visto que se gestam aumentos na passagem para o próximo ano. Por fim, intensificar a propaganda e a agitação contra a escola de tempo integral na E.E. Hans Grudzinski e Loureiro Junior, e contra a implementação do Novotec na E.E. Roldão Lopes de Barros, vinculando esses ataques a consigna Fora Dória!

A nível nacional, foi decidido a participação nos atos convocados pela UNE por justiça para Marielle no dia 05/11, apresentando nossa bandeira “Justiça para Marielle, Fora Bolsonaro, lute pelo Socialismo!”

Encerrando nossas atividades, homenageamos o centenário da Internacional Comunista e cantamos A Internacional, a canção dos explorados e oprimidos do mundo inteiro! E partimos para a Festa Vermelha!

O relato de Joinville-SC, com maiores detalhes, será publicado no blog da Liberdade e Luta durante essa semana, além de fotos e vídeos em nossas redes sociais. 

20191102_160644.jpg

Esses encontros regionais foram apenas os primeiros! No próximo final de semana será a vez dos encontros em Curitiba-PR (09 e 10/11), Bauru-SP (09/11) e Toledo-PR (09/11). Na última semana de novembro, em Serra-ES (24/11) e Floripa-SC (30/11) e em dezembro, o último encontro regional do ano, no Rio de Janeiro (07/12). Se inscreva!

Data post