universidade

Estudantes entram em greve contra o aumento do bandejão na UFMT

Fábio Ramirez

greveufmt.jpg

Os estudantes da UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso) aprovaram greve e ocupação contra o aumento do bandejão. A assembleia que deflagrou o movimento, nesta terça-feira (08) em Cuiabá, contou com mais de mil discentes credenciados e uma enorme disposição de luta. Antes, 29 cursos já estavam em greve e há duas semanas os jovens controlam o acesso de várias faculdades que foram ocupadas.

Nota sobre a greve na USP: Estudantes e trabalhadores em luta pela Universidade Pública

Núcleo da Liberdade e Luta na USP

uspgreveNa última assembleia geral, ocorrida nesta quinta, dia 12, os estudantes da USP decidiram deflagrar a greve por tempo indeterminado. A decisão vem com base na série de medidas que visam sucatear a Universidade em todos os âmbitos. Algumas destas medidas são os cortes em Iniciação Científica, cortes nos auxílios-moradia da EACH, proposta de desvinculação do Hospital Universitário, cortes nas creches, fechamento do MAC no campus Butantã, só pra citar alguns exemplos. Além da greve estudantil, o Sintusp (Sindicato do Trabalhadores da USP) também entrou em greve por reajuste salarial de acordo com o Dieese e contra o pedido de retirada de sua sede feita pela reitoria. Em alguns cursos a greve ocorreu antes de toda a universidade entrar, tal caso foi no curso da Letras, onde há também uma ocupação feita pelos próprio estudantes por cotas, permanência estudantil e mais contratações de professores. 

Inscrever-se em universidade