13 DE MAIO : Um marco de luta e de resistência!

Ariele Efting

maioNo último 13 de maio, completou-se 128 anos da assinatura da chamada “Lei Aurea”, que proporcionou a abolição da escravidão no Brasil. Essa data foi um marco para a população negra e para todo o povo brasileiro e por isso é muito importante compreender o que significou  o 13 de maio para os brasileiros e qual a sua herança no dias atuais.

A escravidão moderna surgiu por uma necessidade do mercantilismo europeu. Era preciso mão de obra nas Américas para retirar os produtos, com algum nível de transformação, como especiarias, ou quase nenhum, como ouro, para revenda.  Após a Revolução Industrial, a burguesia ascendia como classe dominante e o capitalismo, que necessita que a força de trabalho seja assalariada, tornou a escravidão inviável. A Revolução Francesa já havia levantado a bandeira de “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”. Depois disso, como seres humanos ainda seriam comprados e vendidos como meros objetos? Por isso, no século XIX, o racismo foi fundamentado pela burguesia em teorias pseudocientíficas que afirmavam que os seres humanos eram divididos em raças para legitimar as desigualdades e diferenças de classes. Hoje sabemos que essa ideia é totalmente falsa. Só serve para apoiar uma exploração e opressão injustificáveis e para ajudar a mexer as engrenagens de um sistema que só divide e oprime, o sistema capitalista.

Mas quem pensa que a abolição da escravidão foi resultado do desenvolvimento e das transformações do mundo velho ou apenas  bondade da Princesa Isabel e da burguesia, está enganado. Ela foi resultado da luta contra a pilhagem, exploração e opressão. Veio da luta dos quilombos, da luta de Zumbi dos Palmares, das revoltas dos Jangadeiros do Ceará, Cabanagem, Balaiada, Revolta dos Malês e de outras inúmeras revoltas.

A abolição da escravidão não trouxe melhores condições de vida para a população negra. Após a abolição, os inúmeros ex-escravos foram jogados nas ruas, sem moradia, estudo ou qualquer condição favorável para que pudessem viver e trabalhar de maneira digna, e muitos acabaram na miséria.  Até hoje, 128 anos depois, essa condição de miséria e segregação perdura. A juventude negra e pobre não tem acesso a universidade, os trabalhadores negros sofrem com salários mais baixos e são obrigados a ocupar postos de trabalho insalubres e precarizados. Por esses motivos, jamais devemos esquecer aqueles que por meio de muitos sacrifícios, lutas e organização tornaram o 13 de maio possível. Essa data deve ser lembrada pelos trabalhadores e pela juventude, como um dia de luta e de resistência, um dia de combate contra o sistema e seus senhores, que insistem em separar, oprimir e explorar toda a classe trabalhadora e a juventude, sem distinções.

Data post