Cuiabá na Greve Geral

Bianca Fujimori, Liberdade e Luta - Cuiabá
llcuiabá

Hoje (30), aconteceu mais uma Greve Geral chamada pela CUT para barrar as reformas e o governo Temer em todo país. Em Cuiabá não foi diferente. A disposição de luta e força dos trabalhadores e juventude era nítida. Entretanto, também foi notável a intenção dos dirigentes sindicais de frearem o movimento.

Começando pela mobilização quase que inexistente para o Ato desta tarde em comparação com a greve de 28 de abril. Ainda assim, sem nenhuma divulgação sobre as atividades da greve, a presença dos trabalhadores era numerosa. Já na concentração na Praça Ipiranga, percebemos a verdadeira intenção: transformar a vontade de tomar as ruas em um show na praça. 

Parte dos sindicalistas estão “cooptados” pela sinalização do governo de não acabar mais com o imposto sindical e outra parte desistiu de mobilizar a tropa na rua e canalizar energia para as “diretas já”. Isso é uma tentativa de criar a ilusão de que os problemas se resolverão nas urnas e, sendo assim, eleger Lula 2018. Uma tremenda adaptação ao estado burguês e seus tentáculos. 

No momento em que a direita está toda fragmentada sem saber como resolver o impasse político e econômico, a direção dos trabalhadores deveria organizar uma greve geral até o governo Temer e suas reformas caírem com assembleias populares de base que se desenvolvessem até uma assembleia nacional popular que constituísse um verdadeiro governo dos trabalhadores, controlado e impulsionado desde baixo.

Por isso, a Liberdade e Luta se posiciona contra a ação das centrais sindicais pelas diretas já e sua democracia burguesa se colocando, assim, por um governo dos trabalhadores.

Fora Temer e o Congresso Nacional!
Por uma Assembleia Popular Nacional Constituinte!
Por um governo dos trabalhadores!

Data post