Nota de apoio aos estudantes, professores e funcionários da UEPB

Liberdade e Luta
greveUEPB

A Liberdade e Luta expressa por meio desta nota sua solidariedade e seu apoio para a luta travada a mais de três meses pelos estudantes, professores e funcionários da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) que enfrentam as políticas de desmonte da educação pública aplicadas pelo governo estadual de Ricardo Coutinho (PSB).

Com repasses cada vez mais reduzidos, a UEPB se encontra com 90% dos recursos comprometidos com gastos de folha de pagamento. Ainda assim, os profissionais reclamam reajustes salariais da inflação, e cobram melhorias nas precárias condições de trabalho. De seus sete câmpus, somente três são próprios. O Campus V, por exemplo, divide espaço com uma escola estadual, onde os acadêmicos e docentes foram jogados.

Uma outra face perversa da política educacional de Coutinho tem sido vivenciada no aspecto da assistência estudantil. Como os recursos são cada vez mais escassos, a reitoria tem feito cortes e restrições em vários serviços antes utilizados, e se recusa ofertar outros. Como consequência, inúmeros universitários veem sua permanência na instituição fragilizada e até mesmo são obrigados a desistir de seus sonhos.

Para aqueles que decidem permanecer nos quadros da UEPB, sobra a necessidade de enfrentar as difíceis condições colocadas. Mas elas são tão difíceis que a greve que completou seu terceiro mês agora em julho faz parte de um total de três paralisações em quatro anos. Assim, além das dificuldades já citadas, os calendários acadêmicos são prejudicados, as aulas suspensas, e o tempo necessário para conclusão dos estudos se expande sem uma previsão certa de fim.

O combate heroico travado por estudantes, professores e funcionários está relacionado não somente às diretrizes do Governo da Paraíba. A mesma política de redução de gastos com a educação pública é aplicada por outros estados, municípios e principalmente pelo Governo Federal. Trata-se de uma política desenvolvida a mais de uma década, que consiste em favorecer os empresários da educação e seus negócios, e direcionar os orçamentos governamentais para a terceirização e contratação de serviços privados.

Essa orientação geral agora se acelera e agudiza com a crise econômica do capitalismo e seus efeitos sobre os cofres públicos. Não querem remeter a cobertura dos déficits para aqueles que os provocaram, os ricos, os patrões, os banqueiros e os especuladores. Os governos de variadas colorações partidárias, mas sempre financiados e subservientes aos interesses empresariais e financeiros, preferem fazer com que a população trabalhadora e a juventude tenham que arcar com prejuízos feitos por outros. E nessa dinâmica, a UEPB foi atingida em cheio.

Nós da Liberdade e Luta nos somamos à denúncia dessas condições de opressão vividas pelos estudantes, professores e trabalhadores da UEPB. E nos colocamos a disposição para contribuir com a luta desenvolvida por eles.

Data post