10 de junho: Lutar contra os ataques. Fora Temer e o Congresso Nacional!

Liberdade e Luta

fore tO governo Temer surgiu com o propósito de aprofundar os ataques contra a maioria da população. Entre as principais medidas que atingem a juventude estão os cortes na saúde e educação, a exploração sem limites dos terceirizados, a repressão que a “Lei da Mordaça” prevê. As reformas na previdência e a destruição das leis trabalhistas vão desestruturar as famílias e obrigar os jovens a procurar trabalho mais cedo, no momento em que o desemprego entre os que têm menos de 25 anos já atinge mais de 30%.

Mas esse mesmo governo apresenta uma série de debilidades e não consegue governar como pretendia. É obrigado a recuar em diferentes situações, dois ministros caíram em menos de um mês, a burguesia imperialista não confia em sua capacidade de estabilizar a situação política. Manifestações tomam as ruas do país, a juventude ocupa as escolas e universidades buscando o atendimento de suas reivindicações, demonstrando que não pode mais suportar a situação em que vive, com as escolas sucateadas, com a violência policial que mata a juventude nas periferias e reprime os que se rebelam.  A divulgação do estupro coletivo de uma jovem de 16 anos no Rio de Janeiro e o assassinato de uma criança de 10 anos pela PM em um bairro nobre de São Paulo são os exemplos da violência que atinge os jovens.

A crise mundial que se aprofunda no Brasil é sentida na pele por aqueles que são demitidos ou não conseguem encontrar trabalho. As novas regras do seguro desemprego implantadas por Dilma em 2015 deixaram 400 mil trabalhadores de fora do sistema. A Câmara de Deputados aumentou o salário dos Ministros do STF em 16,38%, passando dos atuais 33 mil para 39 mil reais, mais 4.200 reais de auxílio moradia. Enquanto isso, o piso salarial nacional dos professores é de apenas R$ 2.135,64, sendo que nem esse valor é pago por muitos governos. 

michelAs entidades estudantis nacionais não cumprem seu papel de ser um instrumento de combate dos estudantes. A ANEL fica isolada falando para si, ainda gritando “Fora Todos”. A UNE, ao invés de encabeçar a luta contra a cobrança de mensalidades e por vagas para todos nas universidades públicas, perde-se na defesa do PROUNI e FIES, contrapõe-se ao governo Temer, mas “esquecendo-se” que os ataques já eram realizados e gestados no governo Dilma. Nossa luta pelo Fora Temer, e também contra o podre Congresso Nacional, deve basear-se em reivindicações concretas para mobilizar e unificar a juventude ao lado da classe trabalhadora na construção de uma saída independente da burguesia e contra o sistema atual. 

Querem nos calar. Não permitiremos!

Diante do aprofundamento da crise, a burguesia precisa intensificar seus ataques. Um deles é a chamada “Lei da Mordaça” (PL 867/2015) em tramitação na Câmara dos Deputados, que tem como objetivo proibir os professores e estudantes de expressarem sua opinião na sala de aula. 

De acordo com o “Projeto” criado pela ONG Escola Sem Partido, nem o professor, nem um sindicalista do sindicato dos professores, nem um estudante ou dirigente de grêmio estudantil, podem mais falar dentro da sala convocando para assembleias, passeatas ou manifestações. É uma volta à Idade Média e uma afronta à Liberdade de Expressão e de Manifestação. A Lei da Mordaça já chegou em 17 Câmaras Municipais e 9 Assembleias Legislativas. Em Campo Grande (MS), ela foi aprovada pela Câmara de Vereadores e vetada pela prefeitura. Mas o veto pode ser derrubado pelos vereadores. Em Alagoas, o projeto foi aprovado e está em vigor.

A Liberdade e Luta está em campanha por todo país contra esta lei absurda. A burguesia tem visto a crescente disposição de luta da juventude, que explodiu nas Jornadas de Junho de 2013, nas ocupações de escolas que seguem ocorrendo pelo país, nas manifestações dos últimos anos. Por isso, há uma ofensiva de repressão e criminalização com o objetivo de intimidar a luta de jovens e trabalhadores. A Lei da Mordaça é parte disso, assim como a Lei Antiterrorismo. 

Seguir o combate contra o sistema!

Em diferentes países, os povos se rebelam contra os ataques de um sistema falido, que tenta sobreviver elevando a exploração e opressão sobre a maioria da população. 

A Liberdade e Luta está nas ruas, está no dia 10 de junho lutando com as suas bandeiras para derrubar Temer e o Congresso nacional, contra os cortes, contra a repressão aos movimentos sociais. Lutamos por um mundo novo, sem opressão e exploração, um mundo onde possamos ser ‘socialmente iguais e humanamente diferentes’. Para construir esse mundo, precisamos nos organizar e lutar. Faça parte da Liberdade e Luta, construa um núcleo na sua escola, universidade, fábrica ou bairro. Junte-se a nós!

Fora Temer e o Congresso Nacional!
Por uma Assembleia Popular Nacional Constituinte!
Por um governo dos trabalhadores!

Data post