Nota da Liberdade e Luta de repúdio à chacina em Orlando

Evelyn Gonzalez e Luís Tenorio

orlNo último domingo, 12 de Junho, o mundo ficou diante de mais uma barbárie. Ao menos 50 pessoas foram assassinadas e 53 ainda estão feridas na chacina ocorrida em uma casa noturna gay em Orlando, EUA. 

O atirador foi reconhecido como Omar Seddique Mateen, 29, morto em seguida pelos policiais e, apesar de ser norte-americano, ele possuia origem afegã. Fontes apontam que se trata de um “ato terrorista” e atribuem ao rapaz, ligação com o ISIS (Estado Islâmico) e por conta disso, Obama vai reforçar a ofensiva contra o ‘terrorismo’ – ou seja, abre-se um pretexto para investir em mais armamento, consequentemente lucrar com a indústria armamentista em cima da guerra que está acontecendo na Síria e região. Além de possíveis leis de restrição das liberdades, como o Estado de Emergência na França, decretado após os atentados terroristas em Paris, e que atacam os direitos de organização e manifestação. 

O presindenciável direitoso dos EUA, Donald Trump, já afirmou que uma de suas principais propostas para a situação é restringir ou mesmo proibir a entrada de pessoas suspeitas da região nos EUA, ou seja, acirram-se o sentimento de xenofobia em setores mais reacionários na sociedade estadunidense.

Independentemente da origem do atirador, é evidente que se trata de um ato homofóbico, mais uma expressão bárbara de uma sociedade dividida em classes, cheia de opressões e preconceitos reacionários. Não há como saber se a motivação do atirador na boate Pulse está ligada ao fundamentalismo, mas grupos como o ISIS possuem métodos bárbaros e cruéis, tais como decaptação e crucificação de qualquer opositor ao seu sistema, é a classe trabalhadora dessa região que mais sofre com a barbárie imposta, onde xenofobia, machismo, homofobia andam de mãos dadas a esse grupo. Ano passado foi divulgado um vídeo de dois jovens homossexuais serem atirados pela janela a mando do ISIS. 

É importante lembrar também a responsabilidade dos países imperialistas na criação e fortalecimento destes grupos terroristas, ao propagar a barbárie, incentivar as divisões, financiar grupos fundamentalistas, para garantir a dominação dos povos. 

Mesmo com toda a demagogia do magnata Donald Trump em mensagens de ‘apoio’ contra os assassinatos, é conhecido seu discurso homofóbico contra os direitos civis aos homossexuais, como o casamento entre pessoas do mesmo sexo, bem como o discurso xenófobo aos trabalhadores mexicanos que cruzam a fronteira em busca de uma vida digna.

A Liberdade e Luta aponta que a sociedade que buscamos construir, o socialismo, é a única que trará as bases para livrar a humanidade do preconceito, exploração e opressão, proporcionando a plena igualdade de direitos e repudia essa chacina, bem como todo e qualquer discurso homofóbico, xenófobo e fundamentalista religioso.

Rosa Luxembrugo está mais atual do que nunca: É Socialismo ou Barbárie!

Data post