Jovens discutem a situação internacional e como enfrentar o governo de Bolsonaro

Letícia Floriano
Liberdade e Luta

No segundo dia (25/01) do Acampamento Revolucionário de 2019, Jonathan Vitório militante da LL em Joinville, abriu a mesa das discussões internacionais, iniciando com o informe da camarada Ariele Efting sobre a atual conjuntura na Argentina, representando a seção Argentina da Corrente Marxista Internacional (CMI), procedida pelos informes das convidadas Fiona Lali da Grã-Bretanha, Jessica Cassel do Canadá e Mayara Colzani da LL de Joinville.

Ariele iniciou seu informe trazendo dados históricos da luta de classes na Argentina e a atual situação que se instala com o aprofundamento da crise mundial do capitalismo. Enfatizou a importância da luta pelas universidades públicas e relatou as experiências que viveu em 2018 com as marchas pela legalização do aborto e as ocupações de mais de 57 universidades que há anos são sucateadas.

As eleições de 2019 na Argentina serão disputadas entre Mauricio Macri, um candidato de centro-direita e de Cristina Kirchner, ex-presidente da Argentina (2007-2014) e parte da coligação de esquerda Unidade Cidadã, Ariele afirmou “caso Cristina seja eleita a eleição de Cristina Kirchner não mudará nada a situação da classe trabalhadora Argentina”, concluiu reforçando a importância da construção de um partido revolucionário socialista para guiar o a classe na derrubada do sistema capitalista.

Em seguida, Fiona Lali abriu seu informe dizendo que a crise que se vive hoje é a mais profunda crise do capitalismo desde 1929. Diferente de antigamente, a Grã-Bretanha já não mais ocupa seu papel de grande potência mundial. De todo modo, a atual situação favorece a construção do partido trabalhista britânico e abre uma nova perspectiva para a luta da emancipação da classe trabalhadora e da juventude.

Fiona relatou que “nas últimas eleições, Jeremy Corbyn falou dos problemas da juventude e se somente os jovens entre 18 e 24 anos votassem, o partido trabalhista tomaria todas as cadeiras do parlamento”. Constatou que com o descontentamento da juventude com as situações a que estão sendo submetidos, menos acesso a educação, saúde e as condições mínimas para sobreviver, considerando a crescente onda de desemprego e consequentemente da pobreza cria uma situação de indignação entre os jovens.

Jessica Cassel, explicou que o Canadá apesar de parecer um país pacífico e de ter sentido as conseqüências da crise mais tarde, sofre dos mesmos problemas dos demais países impactados pela atual conjuntura, intensificação da austeridade contra os jovens e trabalhadores, aumento do desemprego e da pobreza.

A camarada enfatizou que as organizações sindicais e de juventude mesmo que tenham grande disposição para ir à luta, são freados por leis como a que torna a greve ilegal, chamada “back to work” (retorne ao trabalho) que criminaliza os movimentos e sufoca a organização das massas. Concluiu dizendo “A seção canadense da corrente marxista internacional está usando os tempos de “paz” para construir nossas forças e não descansaremos porque sabemos que assim como no resto do mundo, a crise capitalista inevitavelmente vai empurrar a classe trabalhadora canadense para o movimento revolucionário.

Mayara Colzani deu informe sobre a conjuntura atual do Brasil e explicou o que representa a eleição de Bolsonaro, explicou que o governo Bolsonaro não representa um governo fascista, mas sim um governo bonapartista que visa servir os interesses do imperialismo norte-americano. Disse que o atual presidente não tem interesse algum em atender aos anseios da classe trabalhadora e da juventude, muito pelo contrario, sua política é clara referente a privatização de tudo o que é público e que pretende intensificar a repressão sobre as organizações de levante contra seu governo e suas medidas de austeridade, porém se defrontará com a resistência dos jovens e trabalhadores.

No final da tarde, os jovens acompanharam a bela apresentação do Quarteto Odeon. O grupo emocionou os espectadores com músicas eruditas e também populares. Em seguida, os participantes do Acampamento foram à praia e noite encerrou de forma animada com um luau.

 

 

 

Data post