LIBERDADE PARA RAWAL ASAD: ESTUDANTE MARXISTA PRESO E JULGADO POR SEDIÇÃO NO PAQUISTÃO!

Liberdade e Luta
20144bc606ba2bc4b9a953d890239844_w700_h500-620x330.jpg

 

Na noite de 11 de fevereiro Rawal Asad foi preso junto com seu irmão Anas. Os jovens foram presos porque atenderam o chamado do Movimento Pashtun Tahafuz - movimento por direitos humanos para os Pashtun, grupo etnolinguístico presente no Paquistão e Afeganistão  - para um ato contra o assassinato de Arman Luni, professor universitário, líder do movimento, que alguns dias antes foi torturado e morto por um oficial de alta patente. O caso ainda não foi registrado e muito menos investigado. 

Em nota, a Aliança Progressista da Juventude (PYA) conta um pouco sobre o jovem Rawal e sua atividade política: 

''Ainda muito jovem, Rawal se envolveu em protestos contra os aumentos das taxas escolares, pela restauração dos sindicatos estudantis e muitas outras questões relacionadas aos estudantes. Ele também é ativista no movimento dos trabalhadores e sempre está na linha de frente das lutas trabalhistas e dos protestos dos trabalhadores por seus direitos. Recentemente, ele participou ativamente em protestos contra a privatização de hospitais públicos e outras instituições, e sempre tomava parte nas lutas dos trabalhadores por salários não pagos e outras questões. Este último protesto pacífico foi declarado como atividade anti-estatal e foram lançadas operações policiais para prender todos os envolvidos. Uma das operações policiais envolveu o escritório da CMI em Multan, e todos os móveis e computadores foram confiscados. No Paquistão, levantar sua voz contra as injustiças se tornou um crime tão sério que os réus estão sendo agora julgados sob acusações de sedição.''

Segundo o juíz que manteve Rawal preso, ele será investigado pela polícia. E os camaradas do Paquistão contam como são as investigações dos policiais: 

''Investigações policiais no Paquistão significam tortura física brutal, na qual os acusados, algumas vezes, apanham até morrer. Todo o sistema judicial e policial do Paquistão ainda se baseia no sistema da era colonial construído pelo imperialismo britânico. Todas as leis e procedimentos são os mesmo que foram estabelecidos pelos britânicos para controlar sua colônia. A classe dominante paquistanesa utilizou extensamente esse sistema para dominar os oprimidos desse país e a polícia é, entre todas as outras, uma das mais corruptas e brutais instituições a serviço da depravada classe dominante. A todo momento, exigem subornos e, caso contrário, ameaças de sérias consequências são emitidas.''

84963183f4997a7e228721e4a4629102_w720_h720.jpg

Eles ainda explicam que todos os outros que foram presos com Rawal pagaram fianças pré-prisão e estão em liberdade, enquanto Rawal continua preso. O que está por trás disso é um ataque do Estado às ideias revolucionárias e marxistas no Paquistão, pois um caso similar foi registrado em Lahore, mas não houve nenhuma alegação de sedição, eles explicaram em nota. 

Em todos os cantos do mundo a burguesia e os estados dominados pelo imperialismo temem que a ira da juventude e dos trabalhadores se transforme em organização e que encontrem as ideias revolucionárias do marxismo. Os capitalistas do mundo inteiro tremem quando ouvem falar do marxismo e da luta pelo socialismo. Não por acaso, a página da The Economist ataca abertamente às ideias socialistas. E Bolsonaro ataca o marxismo e o socialismo - ainda que os confundindo erroneamente com o governo do PT. 

Mesmo preso Rawal sabe o poder das ideias revolucionárias e ''jurou continuar sua luta apesar de todas as dificuldades e disse que nenhuma repressão vai forçá-lo a abandonar sua luta pelos direitos da classe trabalhadora e para derrubar esse sistema capitalista corrupto e apodrecido.''

A Aliança Progressista da Juventude está convocando atos e protestos em todo o país para a próxima sexta feira (15), quando Rawal será julgado. 

A Liberdade e Luta envia sua solidariedade aos parentes e camaradas de luta de Rawal Asad e manifesta seu inteiro repúdio à tentativa do Estado Paquistanês de intimidar jovens e trabalhadores se utilizando da repressão estatal. Seguindo o exemplo de Rawal, nós aqui no Brasil também continuaremos lutando pela revolução e para derrubar o capitalismo. Pois, assim como ele, sabemos que somente uma sociedade socialista pode nos proporcionar um futuro e somente as ideias revolucionárias do marxismo pode nos ajudar a chegar até essa sociedade. 

Libertem Rawal Asad!
Abaixo a repressão estatal!
Longa vida à unidade da classe trabalhadora!
Trabalhadores do mundo, uni-vos!

Trechos extraídos da tradução de Fabiano Leite para o site marxismo.org: https://www.marxismo.org.br/content/paquistao-estudante-marxista-preso-e-julgado-por-sedicao2/

 

Data post