Libertem Rawal Asad! Participe da Campanha de Solidariedade Sindical do Paquistão

Aliança Progressista da Juventude (PYA- Paquistão)
Rawal-Asad.png

Parem de prender ativistas sob acusações de sedição e falsos casos policiais

Em 11 de fevereiro de 2019, a polícia do Estado paquistanês, conhecida por suas prisões ilegais, por sua brutalidade e assassinatos de pessoas inocentes, reprimiu e prendeu estudantes e ativistas da Aliança Progressista da Juventude (Progressive Youth Alliance – PYA, em suas siglas em inglês) em sua sede em Multan. Eles foram acusados de numerosos casos, incluindo sedição. Alguns deles conseguiram pagar fiança antes da prisão, mas Rawal Asad ainda se encontra preso e há a ameaça de que a polícia estatal o torture no cárcere e o retenha ali para sempre. Seu único crime é que ele é um ativista que está tentando organizar estudantes e trabalhadores contra as injustiças dos burocratas das universidades, dos patrões e das instituições estatais. Os ativistas foram presos logo após se juntarem a uma manifestação de solidariedade convocada pelo Movimento Pashtun Tahafuz (PTM) em Multan. Eles protestavam contra o assassinato de um de seus líderes, Arman Luni, que era professor universitário e foi torturado há alguns dias por um oficial da polícia. Arman morreu em consequência das torturas.

Rawal-Asad_2.png

Rawal Asad é um estudante de graduação e ativista político do Government Emerson College, em Multan. Desde os tempos do ensino médio, ele esteve envolvido em protestos contra os aumentos de taxas, pelo restabelecimento dos sindicatos estudantis e em muitas outras questões relativas aos estudantes. Atualmente, ele é ativista do movimento dos trabalhadores e sempre está à frente das lutas trabalhistas e dos protestos dos trabalhadores por seus direitos, inclusive contra a privatização dos serviços de saúde, contra a inadimplência de pagamento de salários aos trabalhadores e muitas outras lutas. No Paquistão, levantar a voz contra a injustiça se tornou um crime tão sério que os imputados estão sendo julgados sob acusações de sedição.

Os patrões e o Estado paquistanês utilizaram amplamente as leis do período colonial para oprimir os trabalhadores, os estudantes e os sindicalistas por meio da polícia, que é uma das instituições mais corruptas e brutais de todas as existentes. Numerosos protestos foram realizados em razão de Arman Luni, mas as pessoas presas eram imediatamente libertadas sem nenhuma acusação mais séria. O Estado teme que ativistas como Rawal Asad possam organizar essa raiva e liderar os estudantes e trabalhadores contra as brutalidades e a opressão do Estado e das instituições. É por essa razão que ele está sendo vitimado e pode enfrentar um longo período de prisão. A Campanha de Solidariedade Sindical do Paquistão apela aos estudantes, trabalhadores e organizações para mostrar solidariedade a Rawal e sua família, que está enfrentando seus piores momentos com seu filho na prisão e que teme por sua vida.

Por favor, enviem mensagens de solidariedade a sua família e também mensagens exigindo sua libertação imediata às autoridades paquistanesas abaixo e ao Primeiro-Ministro Imran Khan (um rascunho está disponível no final para ser adaptado como você desejar).

Enviar mensagens para:

Primeiro-Ministro do Paquistão
Imran Khan
E-mail: info@pmo.gov.pk
Endereço: P. M. Secretariat
Constitution Avenue, G-5/2
Islamabad, Paquistão
Telefones: (+92-51) 9222666, 9225404, 9202759

Altos Comissários e embaixadores do Paquistão em distintos países
Embaixada do Paquistão em Brasília: pakistanembassy84@yahoo.com
Consulado do Paquistão em São Paulo: abdouni@pakistan.org.br

Chefe de Justiça da Suprema Corte do Paquistão
Justice Asif Saeed Khan Khosa
E-mail: mail@supremecourt.gov.pk
Endereço: Suprema Corte do Paquistão
Constitution Avenue, G-5/2, Islamabad, Paquistão
Telefone: +92 51 92 20 581-600

Com cópia para
Coordenação da campanha de solidariedade no Brasil: sorg@marxismo.org.br e souliberdadeeluta@gmail.com

Por favor, envie moções ao seu sindicato estudantil e ao seu ramo sindical exigindo a libertação imediata de Rawal Asad e o fim das acusações contra ele. (por favor, faça o download do modelo do formulário de moção no link abaixo para enviar à Secretaria/Presidência de seu ramo sindical).Faça também o download do pôster da campanha para distribuição aos membros e amigos.

Rascunho de texto para e-mail/cartas/fax à liderança paquistanesa: 

Prezado…

Gostaria de informar a todos que a polícia da cidade de Multan prendeu e levantou acusações falsas contra o líder estudantil e ativista social Rawal Asad em 11 de fevereiro de 2019. Seu único crime foi o de participar e mostrar solidariedade ao Movimento Pashtun Tahafuz em uma manifestação organizada contra o assassinato extrajudicial do Professor Arman Luni em Loralai, Balochistão. Rawal se encontra recluso em prisão por tempo indeterminado, com atrasos desnecessários nos tribunais para lhe conceder fiança e libertá-lo da polícia.

Nós em nosso [sindicato estudantil/sindicato/organização] condenamos este ato de barbárie contra ativistas sociais no Paquistão e exigimos a libertação de Rawal Asad da prisão e também que todas as falsas acusações, incluindo a de sedição, sejam retiradas.

Rawal Asad é um ativista social comprometido e sempre está na vanguarda ombro a ombro com os estudantes e trabalhadores no apoio às suas lutas pacíficas. Esperamos que o Estado proteja esses ativistas, visto que são a única esperança para as pessoas pobres e oprimidas do Paquistão.

Ficamos no aguardo de sua resposta cooperativa.

Saudações cordiais…

 

Data post