Preparação da Liberdade e Luta para o 57º Conune

Evelyn Gonzalez

58800364_2379034235461310_6986528282841710592_o.jpg

                                                                          Foto: Duds Offenstein

Este artigo foi publicado originalmente na página de juventude do jornal Foice&Martelo, caso você queira ler todo o conteúdo do jornal, clique aqui para assinar

Entre os dias 5 e 7 de julho, em Brasília, está marcado o 57° Congresso Nacional da União Nacional dos Estudantes (CONUNE).

Instância máxima nacional dos estudantes, essa 57° edição tem como tarefa fundamental na atual situação política discutir e preparar a luta contra toda a podridão que o Governo Bolsonaro e Paulo Guedes representam.

O Ministro da Educação anunciou o corte de 30% das verbas para as universidades. Primeiro com um argumento “ideológico” queria cortar da UFF, UFBa e UnB. Criticado, anuncia que vai cortar 30% de todas as universidades. Os reitores já estão explicando que com este corte a universidade não consegue funcionar até o final do ano.

Eles querem destruir toda a educação pública e preparar o terreno para os “vouchers” ,a privatização do ensino em todos os níveis. Outro ponto de ataque é cortar os investimentos dos cursos de filosofia e sociologia,que faz parte de seu desprezo pela ciência e pelo conhecimento. Olavo de Carvalho, que se diz filosofo, deveria estar em pé de guerra com essa declaração. Mas, ambos desprezam as ciências e não querem que a juventude e a classe trabalhadora possam acessar qualquer ferramenta que sirva em sua luta ideológica contra a burguesia.

Nesse sentido, nós da Liberdade e Luta combatemos em nossa pré-tese a necessidade da UNE, de retomar a luta por educação pública, gratuita e para todos, de lutar por vagas para todos nas universidades públicas, luta que foi abandonada há anos pelas atuais direções da UNE (majoritariamente a UJS, braço jovem do PCdoB).

Além disso, é necessário combater pelo não pagamento da dívida (externa e interna), por mais verbas para a educação, ciência e cultura e exigir o fim deste governo que destrói as universidades e o ensino público.

Nosso combate é para resgatar a UNE de volta para os estudantes, com eleição de delegados em assembleias e baseado na discussão política e não em fraudes que cercam o CONUNE do começo ao fim, em circo durante as discussões aonde as batucadas e gritos sufocam os argumentos e discussões, aonde tem mais festas que plenárias. Queremos transformar a UNE em um verdadeiro instrumento de luta contra o governo Bolsonaro e todos os seus ataques à educação e às condições de vida.

Por esse motivo, nós militantes da Liberdade e Luta devemos passar nas salas de aula divulgando a pré-tese, que tem como eixos centrais a luta pelo Fora Bolsonaro, a luta por educação pública, gratuita e para todos, o fim do pagamento da dívida pública e que todas as centrais sindicais, inclusive as estudantis, convoquem uma greve geral contra a reforma da previdência!

A passagem em salas é algo fundamental para apresentar nossas ideias e propagandear nossa organização de juventude. Explicar que nossas entidades estudantis tem que ser livre, de base, independente e socialista! Esse é o combate para por abaixo a burocratização da entidade e transformá-la num verdadeiro instrumento da juventude.

Por isso nos preparamos desde já, convocando todos os estudantes a se juntarem conosco nessa luta pelo fora Bolsonaro.

Alguns exemplos:

Na FMU em São Paulo, onde não conseguimos lançar uma chapa devido a burocracia, um estudante em acordo com nossa política, atuou durante as eleições indo conversar com os estudantes no refeitório e locais de convivência e conseguiu a adesão de 28 estudantes, que se interessaram em lutar pela derrubada do Bolsonaro e pela educação pública gratuita e para todos!

NA PUC-SP, durante a passagem em sala de aula, explicando nossa política de forma rápida devido as aulas estarem  acontecendo, conseguimos 30 jovens interessados em organizar o combate. Trabalho paciente e de construção, e o mais importante, na base!  

E o mesmo aconteceu na UDESC, em Joinville, onde estudantes vêm combatendo com essa política desde o começo do ano.

Todas essas experiências mostram que, ainda que a burocracia da UNE seja maior que nossas forças, devemos combater com a nossa política e nas bases, pois ao final do processo teremos construídos núcleos da Liberdade e Luta e preparado o combate dos estudantes no local de estudo.

Parte fundamental do nosso esforço é garantir nossa delegação, chapas, materiais totalmente autofinanciados, para garantir nossa independência política! Por isso combatemos financeiramente de levar todos os interessados que querem lutar conosco, por meio de carta de ofícios pedindo contribuições a sindicatos, rifas próprias, almoços coletivos,festas, etc. Nossa independência financeira nos leva a uma independência política de defender o que acreditamos, sem depender de dinheiro estatal, empresas, fundos partidários e etc.

Lute contra esse governo, por educação pública, gratuita e para todos e contra esse sistema podre com a gente! A Liberdade e Luta se coloca a disposição de discutir e organizar cada estudante interessado em construir a delegação do CONUNE em cada faculdade ou universidade. Leia nossa pré-tese e junte-se a nós! 

Data post