Contra a privatização do ensino superior! Fora Bolsonaro!

Nathália Kons*

futurese2.png

Na última sexta-feira, dia 12, foi divulgado em um evento privado a convocação do MEC para uma reunião com os reitores das universidades públicas para essa quinta-feira, dia 18, com o objetivo de apresentar o plano “Future-se” de Bolsonaro, que visa a privatização da universidade pública.

Conforme divulgado na imprensa, as instituições públicas deixarão de ser administradas sob o regime jurídico de direito público, podendo haver cobrança de mensalidade para cursos que hoje são públicos e gratuitos. Porém, o governo vende a ideia de que o plano irá, segundo o secretário da Educação Superior, Arnaldo Barbosa de Lima Junior, “fortalecer a autonomia financeira das universidades e dos institutos federais”. Reiterando a fabricação da mentira, o ministro da educação, Abraham Weintraub, manifestou-se em sua conta no Twitter, dizendo que “não há privatização alguma! Teremos um modelo moderno, que nos aproximará da Europa, Canadá, Israel, Austrália, EUA etc. A adesão das universidades será voluntária, permitindo separar o joio do trigo... as que quiserem ficar no atual modelo, poderão ficar...”.

weintraub.png

Em outras palavras, o acesso às universidades, que hoje são públicas, mas possuem a peneira capitalista que é o vestibular, impossibilitando que os filhos da classe trabalhadora entrem nas universidades, deve ser ainda mais restrito.

O plano “Future-se”, na verdade, põe fim ao presente e futuro de nossa classe, pois segregará aqueles que poderão pagar pela mensalidade dos que não poderão, como ocorre nas universidades privadas.

Desde o início de seu governo, Bolsonaro vem atacando a educação através dos cortes de verba para as universidades, institutos federais e das bolsas da CAPES, que já afetam as instituições de ensino e pesquisa, assim como diversos estudantes, professores e pesquisadores.

Queremos e devemos ter acesso ao ingresso universal à educação, sem passar por peneiras que inviabilizam o ingresso de milhares de jovens ao ensino superior. Por isso, a Liberdade e Luta defende que para lutar contra a privatização do ensino superior, contra as terceirizações dos trabalhadores nas universidades, situação que aumenta a exploração da força de trabalho, e por uma educação pública, gratuita e para todos é necessário lutar pelo Fora Bolsonaro! Essa bandeira é fundamental, pois esse governo representa um enorme retrocesso frente a tudo aquilo que foi conquistado por nossa classe através de muita luta pela conquista de direitos.

Assim, precisamos compreender o papel contrarrevolucionário que as direções do movimento estudantil e sindical estão realizando ao barrarem a luta pelo Fora Bolsonaro e levantarem apenas as confortáveis bandeiras de “resistência” aos ataques “fascistas”.  Os atos estudantis unificados com os trabalhadores dos dias 15/05, 30/05 e 14/06 mostraram que apesar das estratégias conciliadoras das direções, a classe está disposta a avançar e não somente a responder cada ataque que o governo realizar.

Convocamos os estudantes a conhecerem a Liberdade e Luta para lutarem conosco contra os ataques do governo burguês de Jair Bolsonaro, deixando claro que teremos vitórias apenas estando ombro a ombro aos trabalhadores, pautando a derrubada de Bolsonaro e a construção de um governo dos trabalhadores com o horizonte socialista.

Por Educação Pública, Gratuita e para Todos é Fora Bolsonaro!
 

* Nathália Kons é militante da Liberdade e Luta em Joinville/SC

Data post