Nota sobre Ocupação na E.E. Lenio Vieira de Morais de Barueri-SP

Educadores pelo Socialismo

escola-ocupada.jpg

                                                                    Foto: Redes sociais

No dia 16/12/2019 os estudantes da E.E. Lenio Vieira de Morares (Barueri-SP) promoveram uma ocupação da escola contra o fechamento da escola e do realocamento dos alunos pretendido pelo governo.

Logo que o movimento começou, a Professora e Conselheira da APEOESP Ângela, foi abordada de modo truculento pela PM enquanto auxiliava os estudantes. Essa ação demonstrou o caráter de classe dessa instituição, que só serve aos interesses da burguesia. Apesar da violência a qual foi submetida, a companheira permaneceu firme e escancarou a necessidade do enfrentamento geral da classe trabalhadora contra a Polícia Militar, que só faz nos agredir e atacar.

Após a pressão popular, o governo Dória recuou e, ao menos para o ano que vem a escola continua. Após isso, a escola foi desocupada. Isso representa uma vitória parcial, mas importante para a continuidade da luta.

Mas por que ocorre esse movimento?

Como sabemos, desde a maiúscula derrota do PSDB para às centenas de ocupações em 2015, o governo vem adotando a tática de fechar salas e turnos gradual e anualmente. Os objetivos principais do governo são:

1. Fechar o máximo de escolas; 2. Criar uma justificativa para a imposição do privatista Programa de Ensino Integral nas escolas que não conseguir fechar.

Apesar das mentiras do governo, como sabemos, em especial no Ensino Médio, demanda existe e muito. E mesmo em escolas onde a demanda seja eventualmente menor, o governo insiste em abarrotar os estudantes em salas com mais de 40 alunos, deixando salas ociosas. Ele se recusa a dividi-los nas salas que sobram, com menor quantidade de estudantes por professor, o que sim contribuiria para o aprendizado.

Para favorecer seu plano privatista e como ataque ao direito à educação pública, o governo cria o discurso da falta de demanda e, assim, quer, novamente justificar o fechamento dos turnos e mesmo das escolas.

É dever da APEOESP promover um duro enfrentamento com o governo pela reabertura das salas e turnos e organizar de modo sério a luta pela redução do número de alunos por sala. Afinal, se existem salas ociosas nas escolas, com o espaço que temos é possível diminuir a quantidade estudantes por professor, favorecendo e muito o processo educativo.

E mais do que isso, a experiência dos estudantes do Lênio nos deram o caminho. Só a luta organizada pela base, com estudantes, professores, pais e o conjunto da classe trabalhadora poderá impor derrotas ao governo e construir o caminho para superar de vez esse podre sistema.

Todo apoio às lutas contra o fechamentos de salas, turnos e escolas!

Pela redução do número de alunos por sala!

FORA DÓRIA!

Data post