Pelo fim do assassinato dos negros!

Felipe Araujo*

Imagem 1

Não é só no Brasil que os negros são assassinados pela polícia. Nos EUA o racismo e a violência policial também são recorrentes. Na semana passada, mais um trabalhador negro foi morto pela polícia na frente de sua família. Sua esposa fez um vídeo do momento da ação e publicou na internet. Isso gerou revolta em milhares de pessoas, que foram às ruas por vários dias seguidos,  pedir o fim do racismo e dos assassinatos policiais.

O fato do presidente dos EUA ser negro não tem feito diferença alguma no racismo do país. O que Obama propôs como solução é que haja uma reforma na polícia e afirmou que o país não pode ser divido entre dois polos.  Obama está errado! O mundo está dividido entre dois polos sim: os opressores e os oprimidos. E, tanto no Brasil, quanto nos EUA, a maioria dos negros está no grupo dos oprimidos.

Por isso o problema do racismo não pode ser visto apenas como um problema individual, como sugere Obama, o racismo é uma estrutura de dominação, criada pela burguesia pra oprimir e explorar a classe trabalhadora negra. Portanto, reformar a polícia não é suficiente.  O problema está em ela ser o braço armado do Estado, que serve para proteger a propriedade privada, agredindo e assassinando a classe trabalhadora e seus filhos.

Imagem 2
Foto: Laura Buckman / AFP Photo

Em um desses atos, em Dallas, cinco policiais foram alvejados.  Segundo a polícia, por um jovem negro, ex-soldado que lutou na guerra do Afeganistão, que também foi morto após a ação policial. O presidente Obama fará um discurso amanhã na cidade para homenagear os cinco policiais.

Daqui do Brasil, a Liberdade e Luta deixa nossa solidariedade à luta dos companheiros norte americanos que, incansavelmente, lutam contra a violência policial e o racismo. Daqui do Brasil, seguimos na mesma luta.

É preciso que a luta anti-racista siga combatendo o capitalismo e todas suas ideologias racistas e racialistas, que tem como único objetivo dividir a classe trabalhadora. É necessária a unidade de toda classe trabalhadora, para pôr fim a todo tipo de opressão e exploração, e contra todo tipo de ideologia anti-científica que tenta nos enganar dizendo que o mundo é dividido entre raças.

Aqui (https://goo.gl/9uIHtB) vídeo do assassinato do trabalhador negro e a fala da esposa. ATENÇÃO: As cenas são fortes!

 

Felipe Araujo é militante da Liberdade e Luta e professor da rede Estadual do Rio de Janeiro.

Data post