Derrubar Bolsonaro e o capitalismo para defender a ciência!

Mayara Colzani
Derrubar%20Bolsonaro%20e%20o%20capitalismo%20para%20defender%20a%20ci%C3%AAncia!_0.png

No dia 31/3 o biomédico Ikaro Alves de Andrade, recebeu a notícia que o seu programa de sequenciamento genético dos casos do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil, não seria mais desenvolvido, pois a bolsa do doutorado que o pesquisador recebia, foi cortada. “Aprovado em 1º lugar no programa de doutorado em biologia microbiana da UnB, o pesquisador contava com os recursos da bolsa paga pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). No doutorado, a bolsa é de cerca de R$ 2,2 mil mensais.” (BBC News, Brasil). Em uma nota lançada pelo Capes, os cursos que receberam nota 4 não iriam receber a bolsa, critério que é questionado pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) e Ministério Público Federal (MPF).

De acordo com vários cientistas, os casos de coronavírus no Brasil terão seu pico no fim de abril e início de maio. Hoje no país já temos 39.144 casos de Covid-19 e 2.484 mortes. Ao cortar a bolsa de cientistas que estão atuando diretamente para ajudar o mundo a sair de uma pandemia devastadora, fica evidente como o capitalismo não se importa com a vida e as necessidades dos trabalhadores, bloqueando o desenvolvimento de pesquisas que ajudariam a salvar vidas.

No final de 2019 o governo Bolsonaro já havia anunciado as seguintes medidas para 2020: redução de 9% do orçamento para a educação, o CAPES de 4,5 bilhões do orçamento vai para 2,2 bilhões, redução de 11.811 bolsas e nenhuma contratação de novo pesquisador. Os cortes também afetam a CNPQ que representa ⅓ da produção científica no país. Ou seja, o orçamento de 2020 é o mesmo que tínhamos em 2010, ou seja, uma regressão de 10 anos.

Esses cortes são decorrentes da emenda constitucional do congelamento de gastos (EC 95), onde os setores da educação e da saúde foram os mais atingidos e tiveram todos os recursos congelados desde a sua aprovação. Porém, em tempos de crise, o governo aprovou a injeção de R$600 bilhões na economia, onde somente R$80 bilhões irão ser diluídos no auxílio emergencial que não supre as mínimas necessidades dos trabalhadores e os 520 bilhões restantes serão distribuídos para salvar as grandes empresários. Enquanto isso, bolsas de pesquisa são cortadas, empresários enchem os bolsos com o dinheiro público! Parece uma piada de mal gosto ver bolsas de pesquisa sendo cortadas enquanto o dinheiro público é usado para salvar os capitalistas, mas não é piada, é o capitalismo mostrando seu lado mais cruel, sem máscaras, expondo a vontade dos governantes de continuar servindo aos patrões. A burguesia, na fase imperialista do capitalismo, é totalmente reacionária e destrói as forças produtivas, entre elas, a ciência e a própria classe operária, quando decide cortar bolsas de pesquisa e impor que os trabalhadores continuam se expondo em atividades não essenciais.

O resultado desses ataques é a privatização da educação e a nossa tarefa é combater esses ataques e lutar por uma educação pública, gratuita para todos com todas as verbas necessárias para a educação, conectado com a derrubado do sistema. Sob o capitalismo, o desenvolvimento da ciência fica limitado e isso se expressa concretamente em sucateamento, cortes e destruição da pesquisa científica. A Liberdade e Luta no dia 31 de maio realizará o Encontro Nacional online da juventude por Fora Bolsonaro, onde vai reunir jovens de todo o país que querem derrubar o sistema e o Bolsonaro. Convidamos todos a se inscreverem e participar com a gente desse encontro, a nossa maior arma é a nossa organização.

Restabelecimento das bolsas de pesquisa cortadas!

Todas as verbas necessárias para a educação, pesquisa e extensão!

Fim do pagamento da dívida interna e externa!

Por uma educação pública, gratuita e para todos!

Fora Bolsonaro, por um governo dos trabalhadores, sem patrões nem generais!

 

 

Foto: Ikaro (sentado, no meio, ao lado dos orientadores) foi provado em 1º lugar no programa de doutorado em biologia microbiana da UnB

 

Data post