cultura

A história da humanidade em chamas

Liberdade e Luta

Reuters/DivulgaçãoNa noite do dia 02 de setembro de 2018, as cinzas do quinto maior museu do mundo em itens de acervo, foram vistos pelo país todo. Cerca de 20 milhões de itens catalogados que contam a história de parte da humanidade, em chamas. O governo atual e o PT de Dilma agora jogam ping-pong com a culpa por falta de investimento. Os cortes de verbas em educação, ciência e tecnologia começou no governo Dilma e tomou conta do atual governo Temer.

O Jovem Karl Marx – Crítica

João Diego
engels&marx

Até o presente momento nenhuma distribuidora teve interesse em lançar O Jovem Karl Marx nos cinemas. Então, ao cair na internet vários militantes e simpatizantes da obra do pensador alemão começaram a compartilhá-lo. É triste não podermos assisti-lo em tela grande. Faltou, talvez, uma visão de mercado aos distribuidores, afinal a situação atual do país provocaria uma propaganda espontânea do filme.

Nostalgia da Luz – Crítica

João Diego
chile

O documentário dirigido e escrito pelo chileno Patrício Guzmán impressiona por alinhar a astronomia e arqueologia com a ditadura no Chile (1973-1990). Essa “mistura” poderia parecer forçada, mas não é. O cineasta consegue construir poesia com as estrelas, constelações e os corpos dos desaparecidos durante o regime militar chileno.

11 de setembro: Os “desaparecidos” da ditadura de Pinochet

Evandro Colzani
missing82

Algumas organizações de esquerda defendem a ideia de que estamos vivendo sob um Estado de exceção no Brasil hoje. Essa impressão deformada que possuem da realidade é fruto da incapacidade dessas organizações de compreenderam o papel do Estado, da correlação de forças entre as classes e o caráter do Estado brasileiro na atual situação política.

Okja – Crítica

João Diego
okja1

Produzido exclusivamente para o Netflix e lançando oficialmente no festival de Cannes em 2017, o filme escrito e dirigido pelo cineasta sul-coreano Bong Joo Hoo foi Alvo de uma grande polêmica. Os produtores não tinham pretensões de lançá-lo nos cinemas, então muitos começaram a questionar a presença de obras assim em Cannes.

Deus Branco - crítica

João Diego Leite

dbO que nos atrai em filmes sobre animais é o comportamento humano. Quando assistimos a um longa-metragem com cachorro, o que nos intriga, é como este personagem consegue resolver problemas humanos. Vemos nele uma capacidade de raciocínio e emoções que o tornam mais próximo ao homem e menos “animal”.

Inscrever-se em cultura