Conferência da Liberdade e Luta elege sua Coordenação Nacional para 2021-2022

Fernando Silva  

olkjnh

Falamos muito durante a conferência sobre a crise das direções. Trotsky no Programa de Transição afirma que a crise da humanidade se resume a crise da direção do proletariado.

O que isso significa? Estamos vendo uma situação em que o governo Bolsonaro com todos os absurdos que fala e os ataques que promove continua no poder e a razão para isso está no fato de que as direções do movimento operário e estudantil não estão organizando o combate para derrubá-lo agora, preferem esperar para “resolver” as coisas nas eleições em 2022, apostando tudo em um suposto salvador. Essas direções não confiam na capacidade de luta e disposição revolucionária dos jovens e trabalhadores, temem perder seus privilégios com uma transformação radical e por isso freiam a luta, buscando reduzir a confiança dos trabalhadores em si próprios e na necessidade de uma revolução.

Preparar a juventude para tempos revolucionários, tema da nossa conferência, diz respeito a preparar uma direção para atuar em períodos turbulentos da luta de classes, exige estudo, trabalho de recrutamento e ação na luta de classes.

A eleição de uma nova direção para findar os trabalhos 2021 e conduzir os trabalhos em 2022, ponto que ocorreu após a abertura homenageando a Revolução Russa de 1917; a discussão de conjuntura política internacional e nacional; a mesa onde discutimos as tarefas revolucionárias da juventude e aprovação de resoluções sobre situação política, juventude secundarista, trabalhadora e universitária, demonstra a conexão entre o conteúdo e a prática, entre o programa e a direção.

Na mesa, foram apresentados 15 nomes e os motivos para indicá-los, dado o trabalho local e a disposição em contribuir nacionalmente para desenvolver nossos trabalhos.

A proposta foi aprovada por maioria e a nova coordenação terá como tarefa conduzir as lutas nos próximos períodos e botar em prática as resoluções aprovadas na conferência. 

Data post