Univille contra a Ciência: aulas presenciais só com vacina!

ASDAD

A Universidade produz investigações e pesquisas científicas que servem para impulsionar a sociedade a melhores condições de vida. Mesmo com todos os ataques contra a ciência nos últimos anos, realizados pelo Estado mediante profundos cortes nos orçamentos destinados às Universidades, a pandemia de Covid-19 explicitou a importância das explorações e resultados alcançados pelos trabalhadores da ciência, não somente na Saúde, […]

Continue lendo

As lutas da juventude nas universidades privadas

unipri

Nos últimos anos, temos assistido, sem passividade, um contínuo ataque da burguesia e de seus representantes ao conjunto da classe trabalhadora e da juventude. O ataque, do ponto de vista da burguesia, tem que ser direto, pra reduzir os custos do trabalho e aumentar a produtividade. Isso significa um brutal corte nas áreas sociais, além das demissões, da menor oferta […]

Continue lendo

Abaixo a fusão entre Kroton e Estácio

kr

O anuncio do provável acordo entre Kroton e Estácio é mais um duro golpe na educação superior. Essa fusão fortalecerá o setor privado e formará um grande monopólio educacional. Um enorme tubarão do ensino está surgindo e nada de positivo virá disso, a não ser para os sócios da Kroton e da Estácio. Em 2014 uma fusão criou a Kroton-Anhanguera, […]

Continue lendo

Nota sobre a greve na USP: Estudantes e trabalhadores em luta pela Universidade Pública

uspgreve

uspgreveNa última assembleia geral, ocorrida nesta quinta, dia 12, os estudantes da USP decidiram deflagrar a greve por tempo indeterminado. A decisão vem com base na série de medidas que visam sucatear a Universidade em todos os âmbitos. Algumas destas medidas são os cortes em Iniciação Científica, cortes nos auxílios-moradia da EACH, proposta de desvinculação do Hospital Universitário, cortes nas creches, fechamento do MAC no campus Butantã, só pra citar alguns exemplos. Além da greve estudantil, o Sintusp (Sindicato do Trabalhadores da USP) também entrou em greve por reajuste salarial de acordo com o Dieese e contra o pedido de retirada de sua sede feita pela reitoria. Em alguns cursos a greve ocorreu antes de toda a universidade entrar, tal caso foi no curso da Letras, onde há também uma ocupação feita pelos próprio estudantes por cotas, permanência estudantil e mais contratações de professores. 

Continue lendo